Terminando 2017 de Volta ao Japão!

Japão Inventa Novo Imposto Para Quem Deixar o País

Governo afirma que financiará investimentos em turismo com o imposto, que será cobrado a partir de abril de 2019

Imposto será cobrado a partir de abril de 2019, e governo diz que financiará o turismo com ele

O governo japonês decidiu na sexta-feira passada introduzir um imposto de saída do país (出国税 shukkoku zei) no valor de mil ienes por pessoa em abril de 2019 a fim de assegurar fundos para o turismo.

Siga nossas redes sociais
YouTubeInstagram
Facebook - Twitter

O imposto, cuja proposta correu quase como segredo até ser aprovado, será obrigatório a todos os passageiros de todas as nacionalidades que viajam para fora do Japão por via área e marítima. Incluída no pacote de reforma para o ano fiscal de 2018, esta cobrança é o único novo imposto criado no país desde 1992 (o que, de maneira nenhuma, justifica sua existência).

Não suficiente, como o governo de Shinzo Abe domina todas as cartas no cenário político japonês atual, agora que mais este imposto foi aprovado em maioria, estuda-se a implantação de outro, para conservação e manutenção de florestas.

O Partido Liberal Democrático e seu aliado de coalizão, Komeito, realizaram a primeira reunião conjunta e discutiram sobre a estabilização do imposto de saída do país. Sem objeções à introdução do imposto em abril de 2019, a lei foi criada.

Para se ter noção de quanto dinheiro será arrecadado, no ano de 2016 cerca de 40 milhões de pessoas saíram do país (japoneses e estrangeiros), ¥ 1000 ienes por cabeça viajante significa uma arrecadação extra de 40 bilhões de ienes a cada ano.

Visando aumentar o número de visitantes até 2020 (ano das Olimpíadas), o governo diz ter a intenção de usar tais fundos para aumentar no exterior a promoção do turismo e desenvolver um ambiente mais amigável para turistas, como preparação de sinalizações multilíngues e melhoria dos procedimentos de controle de imigração.

Mas a verdade é que ninguém jamais saberá aonde essa dinheirama toda irá parar...

Siga nossas redes sociais

Comentários