Terminando 2017 de Volta ao Japão!

"Especialistas" Aconselham o Japão a Liberar Água Radioativa no Mar

Incitado por especialistas, o governo japonês pensa liberar água contaminada no Oceano Pacífico

Incitado por especialistas, o governo japonês pensa liberar água contaminada no Oceano Pacífico

Após o desastre de Fukushima, o que segurou a onda foi a água. Trocadilhos à parte, os reatores nucleares danificados precisam ser resfriados com água para evitar outro superaquecimento. Essa água que passa pelas varetas termina carregada de radioatividade.

Siga nossas redes sociais
YouTubeInstagram
Facebook - Twitter

A questão é que muito dessa água acaba vazando das câmaras de contenção danificadas e acumula no subsolo, onde se mistura com a água subterrânea que penetrou através de rachaduras nos edifícios dos reatores. Até hoje, estão armazenados no local cerca de 900 tanques de contenção, que podem verter de uma vez caso outro grande desastre ocorra (estamos falando do Japão, então a possibilidade existe!).

Leia também: Don Quijote e seu Notebook de ¥ 19.800 ienes


A mídia japonesa (ANN) fez uma reportagem afirmando que o governo está sendo aconselhado a liberar a água no oceano, mas não especificou os autores dessa ideia, no mínimo, controversa.

É importante salientar que, segundo os especialistas, esta água que pensam liberar passou por um tratamento que, ainda segundo a reportagem japonesa, removeu todos os elementos radioativos com exceção do trítio (que dizem ser seguro em pequenas doses). Enquanto pescadores locais estão hesitantes e consumidores continuam inseguros para consumir produtos marinhos da região, a quantidade de água radioativa está crescendo - 150 toneladas diárias, pra ser mais exato.

Leia também: Ex-executivos da Tepco indiciados após Fukushima

A água é uma dor de cabeça cara para a TEPCO – Tokyo Electric Power Co, proprietária da planta nuclear. Para reduzir o fluxo, ela cavou dezenas de poços para evitar que a água subterrânea chegue aos edifícios dos reatores e construiu uma “muralha de gelo” subterrânea de eficácia extremamente duvidosa para congelar parcialmente o solo em volta dos reatores.

Outra ideia seria diluir a água em 50 vezes antes de liberá-la no mar - um processo que levaria quase uma década para ser concluído, caso de 400 toneladas dessa água fosse jogada no mar todos os dias.

Leia também: Homem Fotografa "Zona Vermelha" de Fukushima

Especialistas consultados pela mídia japonesa também salientaram que a liberação de água radioativa de trítio é permitida em outras plantas nucleares - mas eu não confiaria tanto assim nisso.

Siga nossas redes sociais

Comentários