Robocraft - Esquadrão "Morri"!

Erro de Tradutora Condena Homem no Japão

Homem negou as acusações, mas tradução dizia que ele havia confessado e descrito detalhes

Homem negou as acusações, mas tradução dizia que ele havia confessado e descrito detalhes

Infelizmente, esta não é a primeira vez que uma notícia assim cai no radar do Pocket Hobby - de fato, já perdi as contas de quantas reclamações chegaram até nós por conta de tradutores mal intencionados ou, o que é pior, incompetentes em prefeituras e órgãos públicos.

Mas desta vez o caso foi tão grave que repercutiu até na imprensa japonesa, pois um Tribunal em Osaka afirmou que "não era possível confiar em parte das traduções feitas num depoimento de um réu chinês, acusado de estrangular a esposa em fevereiro do ano passado".

Siga nossas redes sociais

Enka Oh, de 68 anos, teria cometido o crime na casa onde vivia com a esposa, de 64 anos na época. Segundo o processo, ocorrido em Osaka, ele teria pressionado o pescoço da mulher com as duas mãos até a morte.

Se, por um lado, as traduções feitas em seu depoimento afirmavam que ele confessara ter bebido demais e estrangulado a esposa, o tribunal analisou o conteúdo das gravações do dia do depoimento e descobriu que o intérprete teria cometido ao menos 120 erros de tradução.

A tradutora, ainda segundo as notícias, teria dito que ele pressionou o pescoço da vítima por "3 minutos”, enquanto na verdade o acusado afirmava não se lembrar de nada disso. O réu também alegou que não houve intenção de matar, mas essa parte não foi traduzida em momento algum.

Leia também: Imperador "Pede Pra Sair"

O chinês, no fim das contas, alegou inocência, dizendo que não se recordava de ter pressionado o pescoço da esposa. Porém, a promotoria considerou que houve “entendimento mútuo” (em outras palavras, uma confissão forjada, muito comum em casos envolvendo estrangeiros) e pediu ao juiz uma sentença de 11 anos de prisão.

Mesmo admitindo os erros de tradução, o juiz decidiu não mudar a sentença, diminuindo apenas o tempo de cárcere, já que laudos médicos e provas comprovando o assassinato contribuíram com a decisão final e, enfim, o réu foi condenado a seis anos de prisão.

“Muitos trechos do depoimento não foram traduzidos e muitos outros foram traduzidos erroneamente. Queremos que haja verificações e que este tipo de erro nunca mais ocorra”

Palavras do advogado de defesa em reportagem da MBS News.

Siga nossas redes sociais

Comentários