Robocraft - Esquadrão "Morri"!

Viver no Japão - Sonho ou Ilusão?

Morar no Japão - Sonho ou Ilusão? - Pocket Hobby - www.pockethobby.com

Durante minha adolescência, quando eu dizia que (um dos) meus sonhos era morar no Japão, geralmente uma mesma cena se repetia: as pessoas me olhavam de cima a baixo, notavam que não tenho descendência oriental alguma (não, eu não sou o cara dessa foto!), moviam a cabeça e diziam uma frase feita, que geralmente começava do mesmo jeito -  "é impossível", "esquece", "você não é descendente", "vai fazer o quê lá, tá maluco?!" ou, a mais cínica de todas, "Morar no Japão para quê?! Se matar de tanto trabalhar.."

Os menos pessimistas, por outro lado, eram geralmente providos de uma maior brasilidade, aquele jogo de cintura do qual temos orgulho e vergonha, por assim dizer, e já logo concluíam: pra tudo dá-se um jeito. Ainda não inventaram algo que o renomado jeitinho brasileiro não resolva...

E logo vinham as "brilhantes" ideias da galera:


(1) Case com uma japonesa ou descendente;
(2) Entra pra tal igreja lá, puxa bastante o saco dos caras que eles te mandam pro Japão;
(3) Desiste. O Japão não gosta de estrangeiros.

Até entendo quando alguém se preocupa com a questão do excesso de trabalho. Inclusive, já falamos sobre isso em outro artigo (clique para ler) mas, por outro lado, também posso garantir que não fui o único a escutar o papinho furado sobre casamentos ou modos imorais de conseguir um visto. E, mesmo desestimulado por todos, segui quieto, nutrindo esse sonho, trabalhando e estudando muito no Brasil. Eu não estava a fim de desistir.

Brasileiro não desiste nunca.
(esse, sim, é um bom ditado popular)


Curiosamente, foram os estudos que me trouxeram pra cá. Meu diploma de professor e minha profissão de educador me proporcionaram a oportunidade de viver e trabalhar na terra das gueixas e dos samurais, enquanto as pessoas no Brasil ainda ecoavam as mesmas frases feitas de 20, 30 anos atrás.

Não posso, por outro lado, culpar quem repete esses "conselhos": nos anos 90, casamento por interesse era algo mais comum do que você imagina - e quanta gente não se aproveitou disso pra vir pro Japão? Basta uma simples olhada na quantidade de divórcios entre dekasseguis que você entenderá o que digo. Existia até um "mercado negro", onde mulheres e homens cobravam cerca de 20 mil dólares por um casamento arranjado.

Leia também: Morar no Japão e Morrer de Tanto Trabalhar

Algumas igrejas (não todas, não generalize!) também se beneficiaram - e muito - dessa história, "catequizando" milhares de pessoas com esse intuito, prometendo mundos e fundos, passagem, estadia e passeio para quem dedicasse a vida à missão da igreja, cobrando dízimos e aumentando rebanhos às custas de sonhos alheios.

E quantos outros, como eu, fãs de tokusatsu, animes e mangas, que cresceram num Brasil contagiado pela febre de Cavaleiros do Zodíaco, Jiraya, Sakura Card Captors, não queriam conhecer aquela terra linda de pequenas flores cor-de-rosa, paredes de papel-de-arroz e peixe cru? Quantos, como eu, queriam entender o que o "outro lado do mundo" tinha a oferecer, e porque aquele universo de olhos puxados e tecnologia de ponta era tão atrativo?!

Quantos não desistiram pelo caminho, arrumaram emprego e cantarolaram "deixa a vida me levar"? Pois é. Ao invés de frases de incentivo ou estímulo aos estudos, muitos escutaram jargões e tocaram a vida. Afinal de contas, se você não é descendente, não quer se casar com um (por todos os motivos, menos por amor) ou não está disposto a abraçar uma nova fé, desista. Você não faz parte desse mundo, não pertence ao Japão, e muito menos o Japão pertencerá a você.

Outros, como eu, trabalharam muito. Estudaram, se prepararam, são jornalistas, diplomatas, técnicos de TI, ou mesmo artistas, e alcançaram seus objetivos. Não ficaram parados, lutaram por aquilo que acreditam e hoje podem dizer, com orgulho: cheguei aonde queria estar.

Você também pode ir vir para o Japão. Não desista, não se se deixe levar, não olhe para trás. A vida do outro lado do planeta pode ser complicada, cheia de problemas, pode ter pitadas de desilusão, xenofobia ou racismo, mas nenhum lugar é perfeito. Nenhuma terra é o Paraíso.

Como eu já disse uma vez e repito sempre, morar no Japão por competência, por esforço próprio, é uma das melhores sensações desse mundo. E está a um passo de você - basta "somente" muito trabalho, dedicação e esforço.

Não é pra qualquer um, no final das contas...

Quer se manter realmente atualizado? Clique!
Facebook - Twitter - Instagram

Inspirado num texto do Giulliano Peccili
Edição: Pocket Hobby
Conheça o JWave, blog e podcast do Guilliano! Clique aqui