A Coreia do Norte Atacará o Japão?

Japão - Lugar Onde Sobram Empregos, Mas Faltam Salários

Pocket Hobby - www.pockethobby.com - Japão - Lugar Onde Sobram Empregos, Mas Faltam Salários

Japão - Lugar Onde Sobram Empregos, Mas Faltam Salários


Não é novidade pra ninguém - principalmente para nossos leitores - que o Japão vem buscando desesperadamente um antídoto para o encolhimento de sua população (tanto pela baixa taxa de natalidade quanto pelo envelhecimento do povo): o problema é que nenhuma das soluções pensadas, até agora, tratam o imigrante como um residente definitivo.

Viver no Japão, muitas vezes, é uma situação temporária, uma fase de transição, passageira, que não raro se arrasta indefinidamente.

Por causa disso, muitos brasileiros que vivem e trabalham no arquipélago (alguns a mais de vinte anos) encontram até hoje dificuldades de adaptação, barreiras para a naturalização e, não raro, enfrentam a xenofobia dos japoneses.


Muito porque as autoridades japonesas estão se desdobrando para atrair mais trabalhadores estrangeiros sem, contudo, chamar isso de uma "política de imigração". É que o Japão enfrenta um impasse: precisa de mais mão-de-obra estrangeira, mas reserva certos direitos e benefícios apenas e exclusivamente aos japoneses.

Apenas o fato de aceitar estrangeiros vivendo em seu território sempre foi algo sensível para as elites japonesas, principalmente num país onde meia dúzia de empresários da mídia conservadores prezam pela homogeneidade cultural, e onde certos políticos (sim, Abe, estou falando contigo) preferem fingir que o Japão não está afundado em problemas domésticos e crises econômicas.

Eu já expliquei nesse blog que os japoneses se preocupam muito com a perda de seus empregos - principalmente se quem assume a vaga é um estrangeiro que não recebe 2 bônus anuais, não tem estabilidade empregatícia alguma, aceita um salário menor e, mais importante, não conhece as leis trabalhistas do arquipélago japonês.

Leia Também: Japão Volta a Atrair Trabalhadores Brasileiros

Entretanto, como toda solução apresentada até agora falhou miseravelmente em resolver o problema (incluindo a tentativa frustrada do Primeiro Ministro de aumentar o número de mulheres no mercado de trabalho e o "Programa de Trainees", que traz asiáticos com visto de três anos para trabalhar no arquipélago num regime análogo à escravidão moderna), o mercado de trabalho do Japão está "enforcado" - de um lado, a demanda por trabalho chegou ao maior nível em 24 anos; por outro lado, as ofertas de emprego estão cada vez mais ridículas, com salários baixíssimos e praticamente nenhuma melhoria nas condições de trabalho.

Os mais de vinte anos de imigração para o Japão não garantiram aos estrangeiros sequer os direitos trabalhistas mais básicos.

Fingindo mais uma "mudança", as lideranças do Partido Liberal Democrático (PLD) agora propuseram a expansão dos tipos de empregos abertos a estrangeiros, e a duplicação de seu número ante os níveis atuais (cerca de 1 milhão). Nenhuma dessas medidas irá melhorar a situação dos "dekasseguis" e dos que já estão batalhando para sustentar suas famílias mas, ao menos, é muito bom ver que o problema está sendo discutido pelo governo.

Esperamos que, pelo menos, essa nova crise que se avizinha não os faça mudar de ideia - pois o Japão precisa desesperadamente de "sangue novo".

Quer se manter realmente atualizado? Clique!
Facebook - Twitter - Instagram

JAPÃO, 12 DE MAIO DE 2016
Texto: Renato Brandão
Edição: Pocket Hobby

Comentários