A Coreia do Norte Atacará o Japão?

Dez Lugares Imperdíveis do Japão

Pocket Hobby - www.pockethobby.com - Dez Lugares Imperdíveis do Japão

Dez Lugares Imperdíveis do Japão


O Japão é o país dos sushis, sashimis, samurais, gueixas, animes, mangas, país onde a tradição milenar e a alta tecnologia caminham juntas… e disso todo mundo já sabe. Mas também é o país com a terceira maior economia mundial, alto IDH e um dos poucos com baixo índice de homicídios.

Além disso, as cidades são extremamente limpas, as pessoas são muito bem educadas, o atendimento ao consumidor é dos melhores e, mesmo morando há quatro maravilhosos anos aqui, tudo isso ainda me surpreende às vezes.

Por isso, decidi listar 10 lugares que realmente valem a pena conhecer. Tentei fugir dos clichês como o Templo De Ouro de Kyoto e o SkyTree, então faça as malas, siga essas dicas e aproveite a cultura japonesa!



#1 Tokyo é a maior cidade do mundo, berço da tecnologia, das garotas cosplay, da tecnologia, da inovação e, ainda assim, é uma das poucas metrópoles do planeta onde podemos andar sozinhos, de noite, em qualquer lugar. Seria até injusto dedicar apenas algumas linhas para descrever a cidade, pois há tantas opções de turismo e lazer na cidade que certamente vale a pena comprar um guia que trate especificamente da capital.


#2 Arashiyama é um agradável distrito turístico no subúrbio oeste de Kyoto. A Area é um local popular desde o periodo Heian, (794-1185), quando nobres costumavam desfrutar de seu cenário natural. Arashiyama fica mais atraente (e cheia) entre abril e a segunda metade de novembro, quando acontecem o auge das flores de cerejeira e das cores de outono. durante os meses de verão, a pesca tradicional é praticada no rio Hozu para os turistas assistirem. Outra boa hora para se visitar é durante a Iluminação de Hanatoro em dezembro, quando lanternas são colocadas em linhas nas ruas e nas florestas de bambu.


#3 Aogashima é uma ilha localizada a 358km ao sul de Tokyo, tem apenas cerca de 160 aldeões e é considerada a menor vila no Japão. É uma ilha vulcânica formada pelos restos de muitas caldeiras e é ainda um vulcão ativo. Apesar da ilha não ter restaurantes, ela possui dois bares japoneses, (izakaya) na ilha. Os moradores fazem uma bebida alcoólica chamada Shochu, feita a partir de uma batata-doce chamada "Aochu (あおちゅう)". Uma das coisas interessantes é que você pode ficar lá de graça, acampando, desde que preencha um formulário, não pode beber água da torneira, tendo assim que comprar algumas garrafas, uma dica é não levar muita bagagem, para não ter que pagar uma taxa extra para levarem seu equipamento de helicóptero.


#4 A vila Shirakawago (白川郷 "Distrito velho do rio branco") em Gifu é uma aldeia medieval localizada na fronteira dos alpes do japão. É famosa por suas habitações tradicionais com arquitetura do estilo chamado de Gasshoku ou Gassho-zukuri (合掌造り), inteiramente construídas em madeira e com telhado coberto por palhas de arroz, que são trocadas a cinco anos. A vila foi usada como localização de algumas séries de televisão famosas, sendo algumas delas: A vila de Hinamizawa, no anime Higurashi no naku koro ni, na série de gosho aoyama, Detective Conan, como Onizawa, a edição final do primeiro volume de Uncanny X-force começa com Wolverine visitando Shirakawa, e a vila de Minasato na Visual novel Morenatsu também é feita com base em shirakawa.


#5 Glicínias "Quando você coloca os pés nos túneis de glicínias, vai ser totalmente coberto pelo cheiro refrescante e a beleza do cenário de numerosas camadas de flores colocadas umas acima das outras, Por favor, experimente essa grande vista que pode apenas ser vislumbrada na primavera no japão." - Japan Magazine. Glicínia é um tipo de planta que cresce em todo o Japão, e que cativou seu povo. As flores brotam penduradas no final das longas vinhas da planta, e balançam lindamente ao vento, as Glicínias são tão amadas que elas até mesmo aparecem em Waka, um tipo de poema clássico japonês. Em Kawachi Fujien (Kitakyushu) você pode desfrutar da grande beleza dessas flores. Os jardins só abrem durante a temporada das glicínias, e é dito estar em seu melhor no começo de maio, mas estando no clima quente do sul de Kyushu, o melhor tempo para visitas é no final de abril.


#6 O castelo de Hirosaki foi construído em 1611 pelo clã Tsugaru e está localizado no parque de mesmo nome, um local de aproximadamente 0.6 km quadrados. O castelo tinha originalmente cinco andares, mas queimou em um incêndio em 1627 ao ser acertado por um raio. Reconstruído em 1810, o castelo atual de três andares é o único na região de Tohoku que não foi destruído ou restaurado na era moderna (pós II Guerra Mundial). Apenas um punhado de castelos e templos de todo o Japão sobreviveram intocados às ofensivas. O parque de Hirosaki é considerado um dos melhores locais para se observar as flores de cerejeira, com uma abundância de mais de 2500 árvores, túneis de flor de cerejeira, barcos a remo alugáveis e numerosos locais para piquenique. O Festival (matsuri) é feito anualmente de 23 de abril a 5 de maio, quando as flores estão normalmente florescendo. Tem alguns outros locais de interesse dentro do parque de Hirosaki, incluindo o jardim botânico do castelo de Hirosaki e o galho de Aomori do Templo de Yasukuni. Muitas das outras atrações turísticas do parque são localizadas a curtas distâncias do parque.


#7 Esta casa digamos que de aparência minimamente estranha foi desenhada pelo arquiteto japones Terunobu Fujimori, que tem um longo historico de construções um tanto quanto bizarras. A Teahouse Tetsu pode ser encontrada em Yamanashi, e é dita como a combinação entre "Minimalismo e fantasia". Seu interior é simples e moderno, enquanto o exterior parece algo tirado de um conto de fadas, cercada por arvores de cerejeira.


#8 O castelo de Himeji é datado de 1333, quando Akamatsu Noribura construiu um forte no topo do vale de Himeyama. O forte foi desmanchado e reconstruido como o Castelo de Himeyama em 1346, e então remodelado ao castelo Himeji dois séculos depois. O castelo de Himeji é o maior castelo e o mais visitado no Japão, e é considerado o melhor exemplo de protótipo sobrevivente da arquitetura de um castelo japonês.


#9 Saihoji, mais conhecida como Kokedera, é um templo que requer uma reserva feita com bastante antecedência por correio. Kokedera significa Templo do Musgo, se referindo ao jardim do templo que tem estimadas 120 variedades diferentes de musgo, visitantes do templo podem caminhar por esse espetacular jardim, que é fortemente influênciado pelos jardins japoneses subsequentes. Kokedera era originalmente um local da vila do Principe Shotoku antes de ser transformado em um templo no periodo de Nara. Em 1339, o templo foi renovado e convertido em um templo zen pelo sacerdote Muso Soseki. Muso é tambem creditado a criação do jardim do templo de Kokedera.


#10 O castelo de Matsumoto é um dos mais completos e bonitos entre os castelos originais japoneses. É um "Hinajiro"- um castelo construído em um terreno plano invés de uma montanha ou um vale. O castelo de Matsumoto é único por ter tanto uma torre de menagem secundária e uma torre adjacente ao seu sustento principal. As estruturas do castelo, em combinação com a sua pintura preta característica, dão um ar de grandeza e elegância. O interior de madeira do castelo de Matsumoto providencia uma autêntica experiência diferente daquelas sentidas em castelos reconstruidos em concreto, Algumas de suas coisas interessantes seriam escadas de madeira, aberturas para derrubar pedras nos invasores, abertura para arqueiros, assim como também um deck de observação no topo, sexto andar da fortaleza principal com uma boa vista dos arredores da cidade. Na primavera, o castelo matsumoto é também um local popular para se observar as flores de cerejeiras. muitos visitam para passear ao redor da espaçosa area ao redor do castelo.



Quer se manter realmente atualizado? Clique!
Facebook - Twitter - Instagram

JAPÃO, 02 DE MAIO DE 2016
Texto: Renato Brandão
Edição: Pocket Hobby

Comentários