Robocraft - Esquadrão "Morri"!

Quais Produtos Usados Não Devo Comprar?

Pocket Hobby - www.pockethobby.com - Quais Produtos Usados Não Devo Comprar no Japão?

Quais Produtos Usados Não Devo Comprar?


Um conselho que escuto frequentemente sobre economia em tempos de aperto financeiro é comprar objetos de segunda mão - principalmente aqui no Japão, onde lojas de produtos usados são bastante comuns, oferecem uma variedade incrível de produtos e, principalmente, preços convidativos.

Mas será que todos os itens valem a pena?

Especialistas do site americano Brad's Deals, que busca os melhores negócios online para clientes, afirmam que não. Eles defendem que o desgaste causado pelo uso pode comprometer a segurança de alguns objetos e até causar problemas de saúde ao usuário.


Eu sou Renato Brandão e hoje, vamos conferir quais coisas você deve evitar a todo custo:

Capacetes


Assim como qualquer outro item de segurança, capacetes para motos e bicicletas são como coletes à prova de balas, desenhados para suportar apenas uma batida. O acessório pode parecer quase novo, mas isso não significa que já não tenha passado por um acidente.

Leia também: Motivos Para Conhecer o Japão Na Primavera

Por isso, é melhor não arriscar. E não se engane: um pequeno traço de batida pode ser suficiente para  que suas camadas internas estejam em pedaços, deixando novo o usuário desprotegido. É um risco que simplesmente não vale a pena correr.

Sapatos e Roupas


O problema aqui é que, com o tempo, o sapato se molde aos pés de quem o usa. Ou seja, um sapato usado até pode servir, mas a probabilidade de que machuque o pé do novo dono durante o uso é alta.

A mesma coisa com determinadas roupas - embora algumas até valham a pena.

Alguns tipos de sapatos, como os tênis de corrida, passam por esse processo mais rápido por conta do uso intensivo - isso sem falar no mau cheiro. Muitas lojas de usados aplicam altas doses de desodorizante nos tênis em exposição, fazendo-os parecer seminovos, mas com o tempo aquele mau cheiro sempre acaba voltando...

Colchões


Colchões usados são um prato cheio para bactérias, pulgas e percevejos, o que torna a compra do objeto de segunda mão completamente inviável.

Toda fabricante de colchões diz que seus produtos tem uma vida útil entre cinco e dez anos, mas a verdade é que as substâncias antifungos e bactericidas aplicadas sobre a espuma e os tecidos perdem o efeito muuuito antes disso, o que torna o objeto suscetível a alergias e problemas respiratórios muito antes disso - principalmente num país como o Japão, que sofre variações climáticas bastante bruscas ao longo do ano.

Leia também: Trens, Privadas e McDelivery

Além disso, um colchão é quase como um sapato: ele se desgasta e acaba se "moldando" ao corpo do usuário, o pode causar dores nas costas e incômodo ao novo dono, que provavelmente tem um biotipo diferente do antigo proprietário.

No final das contas, passamos 1/3 do nosso dia deitados, portanto o dinheiro economizado não compensa noites mal dormidas.


Eletrodomésticos


Eletroeletrônicos e objetos de cozinha, como geladeira, microondas e panelas elétricas de arroz, perdem a garantia tanto pelo desgaste do tempo quanto pelo mau uso. E no Japão, a falta da garantia faz com qualquer conserto custar bem caro, principalmente se envolver troca de peças originais.

Por isso, é melhor evitar a compra dessas peças de segunda mão, que podem dar dor de cabeça e causar prejuízos - a não ser, é claro, que o produto ainda esteja dentro do prazo de garantia ou conte com um sistema de garantia estendida.

Softwares E Computadores


Programas para computadores costumam vir com um código de instalação que impede que sejam instalados em mais de uma máquina.

Antes de ser seduzido por grandes descontos, verifique se o programa é vendido com este código, geralmente inscrito em um pedaço de papel e incluído na caixa do produto, e que não foi instalado em outros computadores antes.

Leia também: Toyota Aumentará Salários no Japão

Já os laptops e computadores em si, por sua vez, são atualizados com frequência, o que faz com que o custo-benefício da compra de um item usado não seja atraente, já que aparelhos com mais memória e funcionalidades podem ser logo adquiridos no mercado por preços similares.

Além disso, máquinas usadas podem conter vírus que roubam dados do usuário - além, é claro, da falta de garantia em caso de problemas.

Então, o que eu posso comprar com segurança?


Falando sinceramente, quase nada. Sim, eu sei que o Japão é um país extremamente consumista e que lojas como Hard-Off estão atulhadas de produtos baratos, mas tenha cuidado. Exija sempre a nota fiscal, guarde-a, e só adquira eletroeletrônicos que ainda contem com a garantia do fabricante.

Lembre-se também de higienizar muito bem qualquer produto oriundo desse tipo de loja.

Tenha também bastante cuidado com relógios, carteiras e bolsas de marca - muitas lojas de segunda mão não contam com um especialista nesse tipo de produto, e acabam revendendo itens falsificados (muitas vezes sem saber).

Quer se manter realmente atualizado? Clique!
Facebook - Twitter - Instagram

JAPÃO, 11 DE ABRIL DE 2016
Edição: Pocket Hobby

Comentários