Vamos a Nagoya Ver Tailandesas?

Japão na Mira do DJI Phantom 4

Pocket Hobby - www.pockethobby.com - Mercado Japonês na Mira do DJI Phantom 4

Japão na Mira do DJI Phantom 4


Allen Wu, principal diretor da DJI no Japão, lançou o mais recente modelo da companhia, batizado de Phantom 4 (quanta criatividade...), quinta-feira passada em um shopping de Tokyo.

Esperta como poucas empresas, a DJI agora está de olho no bilionário mercado de fotógrafos (tanto amadores quanto profissionais) do Japão - e fará de tudo para conquistar mais consumidores no arquipélago.

De fato, a chinesa DJI é a marca mais famosa de drones do mundo: sua linha Phantom (em suas várias versões), o Inspire e outros equipamentos da marca são o sonho de consumo de qualquer fotógrafo ou produtor de conteúdo, e levaram a empresa a controlar nada menos do que 70% de todo o mercado global de quadricópteros vendidos ao consumidor privado.


Cineastas, produtores independentes, YouTubers e até emissoras de televisão usam drones da empresa no dia-a-dia, para produzir um conteúdo cinematográfico muitas vezes de altíssima qualidade, graças ao sistema câmera / gimbal de estabilização de imagem da DJI.

Claro que o mercado enfrenta legislações cada vez mais duras, que restringem o uso desses equipamentos em espaços públicos - mas isso não parece (mais) ser suficiente para sufocar a ânsia do público em capturar imagens aéreas de alta qualidade.

Leia também: Cosplays Invadem o Texas

Na demonstração feita em Tokyo, a nova máquina (com hélices e motores mais potentes que a versão anterior, câmera 4k e tecnologia de rastreamento automático) sobrevoou um ciclista num circuito fechado, enquanto os executivos explicavam as melhorias dessa versão - incluindo uma bateria que agora dura 28 minutos.

Confira o vídeo (em inglês):


O nicho de mercado de drones com câmeras tem um grande potencial para crescer, especialmente aqui no Japão, um país de fotógrafos e cinegrafistas ávidos, onde o acesso aos melhores equipamentos é amplo e concorrido.

Alguns deles já usam drones a algum tempo, mesmo antes da primeira lei de Japão sobre drones, que entrou em vigor em dezembro passado, restringindo o uso desses equipamentos às horas diurnas, proibindo qualquer material explosivo de ser carregado pelos aparelhos e não permitindo que voos sobre grandes multidões. Também é necessária a permissão do governo para usá-los nos entornos de aeroportos e outras áreas especiais.

Leia também: Táxis Especiais para Turistas em Kyoto

A DJI, fundada há 10 anos, possui hoje - com este novo lançamento - um produto que oferece imagens de alta definição com qualidade e imagens panorâmicas suaves. O Phantom 4, com sua autonomia de vôo de cinco quilômetros, é vendido por ¥ 189.000 (R$ 6.275,00) no Japão, e U$ 1.399 nos EUA. Sua velocidade máxima é de surpreendentes 72 quilômetros por hora.

Ele possui também uma função de "retornar à casa", ou seja, se o contato de rádio entre o quadricóptero e o controle for perdido, o equipamento retorna ao local de decolagem automaticamente.

Contudo, muitas das alegações da empresa não passam de balela. Eu tive a oportunidade de testar o modelo anterior (Phantom 3 Professional) e recebi inúmeras reclamações de donos de quadricópteros, que se queixam da instabilidade do aparelho frente a ventos - e não estamos falando de ventanias fortes, pelo contrário: às vezes, uma leve brisa é suficiente para derrubar o Phantom.

Leia também: O Pior Dezembro do Japão

Pocket Hobby também encontrou vários vídeos mostrando drones que se descontrolam sem motivo aparente, que não se sustentam no ar ou cuja câmera apresenta defeitos. E ninguém paga mais de seis mil reais (claro que, no Brasil, com impostos e tudo o mais, custará o dobro disso!) pra levar pra casa um equipamento "meia-boca".

O que esperamos, com esse lançamento, é que as gigantes japonesas "acordem", corram atrás do prejuízo e comecem a projetar seus próprios drones, dando à DJI um concorrente à altura. O Japão tem tecnologia de sobra pra isso, basta Mitsubishi, Yamaha ou mesmo Sony investirem no segmento.

E olha que estamos falando de um mercado bilionário...


Quer se manter realmente atualizado? Clique!
Facebook - Twitter - Instagram

JAPÃO, 08 DE MARÇO DE 2016
Texto: Renato Brandão
Edição: Pocket Hobby
Com informações de JapanTimes

Comentários