A Coreia do Norte Atacará o Japão?

Para onde fogem os ricos - Hobby News

Pocket Hobby - www.pockethobby.com - Hobby News - Para onde fogem os ricos
Para onde fogem os ricos

Numa semana que já começa difícil, as recentes discussões que consomem o tempo dos brasileiros parecem apenas outra distração.

Diante de um cenário político e econômico caótico, talvez o último - e maior - sonho de consumo dos ricaços brasileiros seja uma segunda nacionalidade: afinal de contas, o passaporte brasileiro não é lá dos mais "valiosos" do mundo, e os milionários sem ascendência estrangeira (ou cujos parentes europeus e orientais ficaram lááá longe na árvore genealógica) estão correndo para garantir uma nacionalidade mais... Conveniente, digamos assim.

Esse movimento não tem a ver com patriotismo, pelo contrário: a dupla cidadania é vista, atualmente, como saída de emergência para quem não quer ficar à mercê de governos instáveis, como o brasileiro.


Observamos repetidamente grandes êxodos do Brasil, de pessoas que estabelecem residência em outros países e mesmo aqueles que já vivem fora decidem não retornar. Inclusive, falamos disso aqui.

Leia também: Bye Bye Brazil

Esse movimento migratório é observado principalmente no Brasil, China, Índia, Rússia e África do Sul, curiosamente nações do falido BRICS (entenda sobre o bloco político clicando neste link).

Nações-Alvo

Os três países que mais receberam super-ricos (pessoas que possuem patrimônio líquido de mais de US$ 1 milhão, excluindo o imóvel de residência) são, na sequência:

Leia também (recomendado): Quanto "vale" seu passaporte?

Reino Unido

Economicamente forte e livre das recentes crises e problemas da União Europeia, a Inglaterra possuía, ano passado, mais de 840.000 super-ricos. Este ano, mais 125.000 pessoas engordaram as estatísticas, deixando o país no topo da lista.

Estados Unidos

Ah, o sonho americano... Foram contabilizados mais de 4.100.000 ricaços vivendo no território em 2014, que agora dividirão espaço com mais 52.000 sortudos abastados.

Singapura

Destino preferido dos milionários asiáticos, essa cidade-estado concentrou, ano passado, mais de 223.000 super-ricos, que agora dividirão espaço com outros 46.000 chineses, coreanos, indonésios e japoneses.

Há, também, Austrália, Hong-Kong e Canadá que, juntos, também recebem um fluxo constante de super-ricos a cada ano. Os motivos deste êxodo, como já esperado, são: violência crescente, impostos abusivos, um Estado totalitário e, o principal, a corrupção generalizada.

Leia também: Burrocracia

Mas não se engane: a recente entrada no Brasil no Global Entry Norte-Americano não irá facilitar em absolutamente nada seu ingresso nos Estados Unidos, caso você esteja pensando em se mudar. O Pocket Hobby acompanhou, dias atrás, o frissom crescente na mídia brasileira, que noticiou maliciosamente que a "Entrada de Brasileiros será facilitada nos Estados Unidos" em manchetes caça-cliques, mas a verdade é outra:

Global Entry é um programa do Tio Sam que beneficia apenas viajantes frequentes, empresários e pessoas que já possuem um visto e viajam constantemente pra lá. Turistas e visitantes ocasionais não tem direito a ingressar no programa e ainda precisarão enfrentar as temidas filas de Embaixadas e da Imigração nos aeroportos - afinal, passe livre é só pra quem tem a carteira cheia.

Leia também: Quanto "vale" seu passaporte?

Que fique claro: apenas muito dinheiro te garante acesso a qualquer lugar do mundo, então é melhor começar a poupar.


Quer se manter realmente informado? Clique!
Facebook - Twitter - Instagram

JAPÃO,  13 DE JULHO DE 2015
Texto: Renato Brandão     Edição: Pocket Hobby
Com informações da internet

Comentários