Robocraft - Esquadrão "Morri"!

O Imperador Eleito - Cultural Shock

Pocket Hobby - www.pockethobby.com - Cultural Shock - O Imperador Eleito Shinzo Abe
Este homem reina absoluto no Japão

O Império de Shinzo Abe

Texto: Renato Brandão
Edição: Pocket Hobby


Após o terremoto e tsunami de 2011, três eventos recentes mudaram profundamente o panorama de vida no Japão:

- O primeiro foi o aumento do Imposto sobre Consumo, de 5 para 8%, em abril de 2014 (com previsão de fechar 2017 a 10%). Sim, caros leitores brasileiros, aqui o imposto é único, mas tem ficado cada vez mais caro. Até os anos 90, o mesmo imposto era de 3%, valor considerado "justo" por grande parte da população japonesa;

- O segundo fator no "Novo Cenário Japonês" é a desvalorização do iene frente ao dólar. Impulsionada por lobistas e grandes exportadoras, a moeda americana está cada vez mais cara, tanto no Brasil quanto no Japão, o que aumentou (e muito) o custo de vida num arquipélago com espaço físico tremendamente mal aproveitado e muitos produtos básicos (desde a carne de boi aos combustíveis) são importados e cotados em dólar.

Para dekasegis, os níveis atuais do dólar (mais de R$ 3,15 neste momento) compensam as flutuações do câmbio do iene, mesmo com taxas de envio e IOFs beirando o assalto à mão armada. Contudo, o dólar alto já afeta o padrão de vida das famílias no Japão, tanto japoneses quanto estrangeiros. Muita gente já muda de hábitos, diminui o consumo, adia a compra da casa própria... E faz mais hora extra.

Leia também: Queime seu passaporte americano!

- Por último, a mais preocupante de todas as mudanças está no que a Agência Reuters (talvez a mais influente e internacionalizada rede de notícias do mundo) chamou de "Auto-Censura Midiática Japonesa": canais de televisão, grandes jornais, programas de rádio e a maioria avassaladora de sites na internet (mesmo os voltados ao público latino) evitam proferir quaisquer críticas contra o atual regime de governo, ultra-conservador.

As pesadas críticas da Reuters contra Abe e sobre a liberdade de imprensa explicam que mesmo considerando os peculiares costumes japoneses (já falamos de alguns aqui), a mídia local afunda cada vez mais no desfile diário de bizarrices e futilidades, recheada por muitos programas culinários, "doramas" e piadas sem graça, ignorando todo o resto.

De política, ninguém se atreve a falar. Todos têm medo.

Aliás, se você mora no Japão ou assiste a canais de televisão daqui, saiba que até a NHK, a rede pública nacional, em nota oficial, admitiu que "ninguém pode dizer 'esquerda' quando o governo sinaliza à direita".


Comentários