Vamos a Nagoya Ver Tailandesas?

Turismo no Japão - Hobby Trip

 #HobbyTrip


Certos detalhes da vida japonesa cotidiana surpreendem muitos turistas quando estão no Japão - afinal, nem tudo aqui é anime, cosplay e sushi. Abaixo, selecionei alguns fatos mais comentados por quem vem ao país passar férias.

Estações do ano muito bem demarcadas

Talvez a época do ano mais bonita no Japão, a primavera traz boas surpresas: as temperaturas voltam a níveis "normais" após o inverno (que, para mim, parece Glacial) e as "sakura", aquelas minúsculas flores parecidas com a flor do Ipê, estão por todo lado.
Sempre explico a amigos que dizem "quero conhecer o Japão": venha na primavera. É a melhor época (apesar de existirem atrações de sobra durante o ano todo).

Local próximo de casa

Máquinas que um dia dominarão o mundo


A menor do gênero
Mesmo quem não gosta da franquia Transformers admite: ver carros esportivos, caminhões e jatos militares se transformando em Robôs Gigantes e soltando a porrada é algo fantástico; se fossem pilotadas por um humano (no melhor estilo Evangelion) então... Shut up and take my money!, eu diria.

Enfim. Sonhos cinematográficos à parte, qualquer passeio pelo Japão inclui na paisagem uma jidōhanbaiki, as vending machines. Não é exagero dizer que elas estão por todo lado: nas ruas, dentro e fora das lojas, perdidas no meio de plantações de arroz...

Pode-se encontrar absolutamente tudo: bebidas quentes (chás e cafés enlatados, que nem são tão ruins quanto parecem), refrigerantes realmente gelados (ao contrário do boteco da esquina, que deixa o freezer no mínimo pra economizar energia e te entrega aquela Coca meia-boca), cervejas (fácil assim!), cigarros, doces (esta é mais rara)....

Um dia, quando menos esperarmos, todas elas levantarão, se transformarão em gigantes assassinos mecanizados e escravizarão a raça humana.


Deve ser por causa desse receio que os humanos as tratam bem: em mais de dois anos vivendo aqui, jamais encontrei uma máquina quebrada ou depredada. E todas possuem como guarda-costas uma lixeira em perfeitas condições, o que nos leva ao próximo tópico

Educação e cordialidade

Conviver em sociedade é algo complicado: o Mundo tem gente demais, em qualquer canto. Cada um educa seus filhos (quando educam) de maneiras diferentes e conflitantes. As mídias estão aí, mostrando sangue, violência, injustiça, impunidade... E nós, a "ponta fraca" desse jogo de puxa-estica, temos a nítida sensação de estarmos sendo "passados pra trás" o tempo todo - pelo governo (nos impostos), pelas empresas (que não entregam o serviço contratado), por outras pessoas (que combinam e não cumprem)...

É cada vez mais difícil viver o dia-a-dia sem pensar: "ah, é só um papel no chão, um toco de cigarro, o que é que tem de mal? As empresas despejam MILHARES de toneladas de produtos poluentes no meio ambiente".... É natural e compreensível pensar assim. Num país onde quase nada funciona direito, a Lei de Gerson sobressai.


Entretanto, a sociedade japonesa é educada a seguir regras (e não violá-las); cordialidade e respeito são valores vivenciados no dia-a-dia e, excluindo-se os episódios passionais e indivíduos mentalmente instáveis, casos de discriminação, desrespeito ou vandalismo são raros. Afinal, já bastam os furacões, tufões, terremotos tsunami e outros desastres naturais pra F#D%R com o país.
Deve ser por isso que ainda não encontrei uma jidōhanbaiki depredada....

Onsen

Imagine-se numa banheira de águas termais, como veio ao mundo, com uma dezena de desconhecidos, todos também pelados, banhando-se em águas que facilmente ultrapassam 42°C: a primeira coisa que muita gente pensa é "aonde fica a ala feminina?!"

Taradices à parte, o onsen é uma casa de banho, mais frequentada durante o inverno, onde homens e mulheres (separados) vão para relaxar. Há banheiras indoor e ao ar livre. É bem relaxante.


Os melhores onsen do Japão ficam próximos às montanhas, um tanto isolados, em especial ao redor do Monte Fuji (agora patrimônio da Unesco).


Por fim, o mais importante:
Segurança

Obviamente, o Japão não é 100% seguro - como já citei, desastres naturais são quase diários, e se não fossem as precauções exageradas dos japoneses, o Godzilla já teria arrasado com essa ilhota minúscula há pelo menos 50 anos (os Estados Unidos tentaram, e nem duas bombas atômicas conseguiram).

Há também a Máfia, as Gangues de motoqueiros (isso existe, não é lenda urbana!) e os psicologicamente transtornados. Aliás, o país deve ter a maior concentração de malucos por metro quadrado da Galáxia... Mas nem tudo isso torna o povo japonês violento.

Sim, eles usam armas de fogo.... Raramente
Gosto de citar o exemplo da minha primeira viagem a Tokyo: quatro horas da madrugada, um grupo de amigos e eu saímos de uma boate em Roppongi e caminhamos pelo menos 15 quadras para apreciar o amanhecer aos pés da Torre Eifel Tokyo Tower. Comigo, dinheiro para hotel, amigos com iPads na mão buscando a rota pelo GPS, telefones celulares, câmeras fotográficas, enfim, um bando de jacus "dando sopa" de madrugada numa das maiores metrópoles do planeta.

E nada aconteceu.


Confira também

Post relacionado

 #HobbyTrip



Minha "Bucket Travel List"
A engenhosidade humana pode chegar a extremos inovadores
e construir lugares turísticos antes impensáveis