Vamos a Nagoya Ver Tailandesas?

Apocalipses em Games - Play for Hobby

 Pocket Hobby - www.pockethobby.com - #PlayForHobby - Apocalipse Z, High School of the Dead, The Last of Us e muito mais!


Apocalipses e Games


Nunca sabemos quando pode dar alguma Mrd@ nesse mundo, talvez por isso a temática “Apocalipse Zumbi” seja tão presente; gosto e consumo praticamente tudo sobre o tema, desde os ótimos filmes do Romero aos quadrinhos toscos do The Walking Dead (embora alguns invertam a ordem dos adjetivos erroneamente), mas vale destacar:

Primeiro: tosco e ruim não são sinônimos. Pelo menos não no meu dicionário.

Segundo:
- recomendo fortemente a trilogia "Apocalipse Z", do espanhol Manel Loureiro, cujos livros relatam, em primeira pessoa, as desventuras de um advogado da Galícia (norte da Espanha, acima de Portugal) de uma maneira ágil, rápida e intensa. Existem deslizes e exageros no roteiro, mas ainda assim eu, pelo menos, vi o protagonista como um espelho de mim mesmo durante algum tempo. E decidi que preciso aprender a velejar o mais rápido possível...


Pocket Hobby - www.pockethobby.com - #PlayForHobby - Apocalipse Z 1

- também gosto DEMAIS (e sonho com uma segunda temporada) de High School of the Dead. Velho conhecido dos otakus, o anime é uma mistura bizarra entre filmes do George Romero e a taradice fanservice nipônica – parece obra de um Quentin Tarantino num dia especialmente violento. Ali aprendi o quanto um nerd pode ser útil com um fuzil sniper na mão...


Pocket Hobby - www.pockethobby.com - #PlayForHobby - High School of the Dead 1


- e, finalmente, um dos últimos jogos de PlayStation 3, “The Last of Us”, recentemente remasterizado para PS4.


Eu, por exemplo, que estava afastado dos consoles desde o Nintendo 64 (e também sempre gostei de jogos clássicos como este aqui), não dormi de ansiedade quando vi o primeiro vídeo da Naughty Dog sobre o tema, e só fiquei tranquilo quando pude, finalmente, viver a aventura de Joel.

A saga me custou umas boas (muitas) noites mal dormidas, refeições mal feitas e longas horas completamente “vidrado”. Sim, sou esse tipo de ansioso, que “desliga a sanidade” enquanto não vê o fim de algo que gosta muito, que esquece de comer, dormir ou trabalhar.

Aproveitei cada canto do fantástico, detalhado e rico cenário (mesmo com suas limitações), cada roupa puída, cada personagem jogável... Tudo era apocalipticamente perfeito na tela: lacrimejei com Joel ao primeiro plot twist (aos 10 minutos de jogatina), sofri a cada infectado enfrentado, cruzei meio mundo, neve, areia, sol, cidade destruída e água nojenta com uma aborrescente que (literalmente!) não sabia nada sobre o mundo e, ao final... Bem.... Dê play no vídeo e continue lendo, apreciando as músicas (mesmo que não tenha o costume). Vai por mim, te ajudará a entender parte da emoção que existe aqui.



Percebi não estar diante de um game, mas um FILME num formato novo, linear, explorável, com detalhes cuidadosamente planejados e apenas um final. E Meu Deus! Quem teria feito diferente do Joel no final das contas?!

Agora, com a remasterização para PS4, o jogo ganha “sobrevida”: gameplays afloram no YouTube e eu tenho revisitado a saga, no [modo Survival], pois “Apocalipse Easy” é pros fracos.



Gostou?! Aqui tem mais


Posts relacionados
 www.pockethobby.com - #PlayForHobby - Rivalidade das Mais Antigas





 www.pockethobby.com #CulturalShock - Mitos da Vida no Japão


Mitos da Vida no Japão
Alguns fatos sobre a educação, alienação, cultura, ostentação e o cotidiano no exterior

Comentários